Blogger Widgets Blogger Widgets

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Parques Ecológicos Intermunicipais com acesso seguro e confortável

A criação das Áreas de Preservação Permanente ou APPs, no entorno dos reservatórios das três PCHs terá um efeito muito importante sobre o ambiente no vale. 

A elaboração dos projetos arquitetônicos e paisagísticos desses parques apenas será iniciada após o seu licenciamento ambiental estar concluído e há possibilidade de que venham a ser objeto de concursos públicos, realizados para permitir oportunidades para novos profissionais da região.

Exemplos de outros parques semelhantes foram utilizados aqui no nosso Portal, para poder ilustrar a concepção que deles tem preliminarmente a ENERBIOS. 

Então, aqueles que reconhecerem a seguir fotos de cidades como Petrópolis, São Paulo, Camanducaia, Curitiba e Porto Alegre, não devem ficar surpresos, pois foram colecionadas aqui para dar uma ideia daquilo em que estivemos pensando nos últimos anos.


Protegidas por cercas e sistemas de segurança, estas APPs poderão constituir-se em Três Parques Ecológicos, administrados pelo empreendedor, em convênio com os municípios. 


Cuidado especial será dispensado à região dos barramentos para evitar acidentes junto aos vertedouros e tomadas d’água, com a instalação de sistemas de segurança.


A necessidade de que as atividades de construção, operação e manutenção das usinas se desenvolva normalmente, impõe ao empreendedor a obrigação de manter em bom estado todos os acessos aos reservatórios, aos canais, aos barramentos e casas de força, criando estacionamentos para veículos. 

Os parques ecológicos, por situarem-se na divisa dos municípios, ensejarão a presença de visitantes de toda a região, aumentando o intercâmbio e a integração também nas atividades de lazer e turismo. 


Percorrendo suas trilhas de observação, que estarão no nível do solo ou elevadas em plataformas de madeira, os visitantes conhecerão, nos viveiros de mudas, todos os principais tipos de árvores nativas da região, seus nomes populares e científicos e dados sobre suas principais características.

Diploma de “Amigo do Parque”

Na saída, mediante a assinatura de um “Compromisso de Plantio”, diploma de “Amigo do Parque” e uma pequena contribuição para a conservação dos viveiros, cada visitante receberá uma muda das espécies mais ameaçadas de extinção.

Através do “Diploma de Amigo do Parque” o visitante se comprometerá a plantá-la e cuidar dela até sua transformação em árvore frondosa, enviando, regularmente, fotos e informações ao Parque de onde ela se originou. 

Por certo, cada parque terá um Grupo de Amigos que se encarregará não apenas de disponibilizar essas informações aos visitantes reais e virtuais, através da internet, mas realizar na prática muitas ações práticas de conservação e de educação ambiental, com suas próprias mãos.



Através da Internet, escolas de toda a região poderão programar excursões guiadas por profissionais da área biológica, permitindo aos professores terem um lugar apropriado e inspirador, para ministrar aulas sobre botânica, ciências naturais, meio ambiente, etc.

Escritórios e Galpões da obra virarão Salas de Aula



Sempre que possível, as estruturas provisórias das obras, utilizadas durante a construção das usinas, serão preservadas. 

Assim, os antigos escritórios, oficinas e almoxarifados serão aproveitados e adaptados para constituírem-se em salas de aula, auditórios e átrios para eventos como aulas, exposições, teatro amador, festivais de música, poesia e dança. 

A fauna será protegida

As espécies animais da fauna terrestre e aquática também serão protegidas com as APPs, podendo voltar a se desenvolver a salvo da caça predatória e clandestina que hoje é bastante comum na região.


Exposições permanentes, com fotos das principais espécies da fauna, da avifauna e da ictiofauna local serão organizadas sobre o caminho das trilhas, permitindo aos visitantes identificar cada uma.

Recepção aos Visitantes  


Em cada um dos parques, um Centro de Informações Turísticas cuidará de receber os visitantes , nos dias de maior movimento, com a apresentação de palestras e vídeos explicativos sobre o Vale e sobre as atrações que ele guarda para todos os que o visitarem.

Na ocasião os frequentadores irão receber informações e materiais informativos sobre as demais atrações do Vale, tais como o Caminho do Miguel Bogdanowicz, o Recanto Rickli, a Pousada do Salto Sete, o Salto Rio Branco, as visitas técnicas às PCHs e sobre as demais pousadas, parques aquáticos, hotéis fazenda e demais empreendimentos que poderão ser construídos na região, aproveitando a facilidade de acesso e a visibilidade trazidas pelas usinas.


Caminho do Bugdanovicz

Recanto Rickli - Empreendimento de geração de energia como atração tuística