Blogger Widgets Blogger Widgets

quinta-feira, 20 de março de 2014

Agricultores e Enerbios visitam Emater em Prudentópolis



Na manhã desta terça feira, os agricultores da região de Barra Vermelha tiveram visitando o escritório da Emater em Prudentópolis para se inteirar dos projetos de assistência para a sustentabilidade que estão sendo implementados com recursos do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).


Os agricultores, Conrado Bogdanovicz, Dirce Bogdanovicz, Genoário Kuczimin e Felipe Dobuchak, foram recebidos pelo técnico Divo Batista que explicou detalhadamente como funciona esse programa de assistência voltado a aumentar as alternativas e diversificar as atividades produtivas dos agricultores.

 “Os recursos foram dimensionados para atender 400 famílias e todo o município a partir da utilização de quatro técnicos. Estamos na etapa de planejamento das nossas atividades e caso o município forneça mais um técnico agrícola, nós poderemos atingir as 400 famílias, porque atualmente temos três. Já existia uma demanda muito forte da comunidade de Barra Vermelha, vários agricultores já haviam procurado a Emater, principalmente interessados na atividade leiteira, fruticultura e piscicultura.”, informou Divo.

O engenheiro Ivo Pugnaloni e Victor Bernardes da empresa Enerbios, estiveram presentes na visita, uma vez que os empreendimentos de geração entre os múltiplos usos da água preveem sua utilização para irrigação por gotejamento e piscicultura.

Segundo Divo é preciso deixar bem claro que a atividade da Emater não se confunde, nem conflita, com  a construção de hidrelétricas, nem tão pouco a Emater possui qualquer posicionamento a favor ou contra a instalação das usinas. “Tratam se de dois projetos diversos, mas é evidente que se existirem as usinas, haverá uma maior disponibilidade de água para os proprietários naquela região. O programa não se limita a região onde existirão os reservatórios. Poderá, também, ser implantado em cima da serra, com os produtores.”, disse.

Divo afirmou, também, que em Abril, concluído o planejamento das reuniões e selecionadas as comunidades, serão marcadas as reuniões em Barra Vermelha, em Nova Galícia e em demais comunidades para realização do cadastro familiar e entrevistas que estão previstas no programa de sustentabilidade do Ministério.

O técnico da Emater esclareceu o controle das atividades propostas pelo programa, relatando que hoje a atividade leiteira em Prudentópolis já atinge 600 famílias, mas que em Barra Vermelha ainda não é muito significativa. A vantagem do programa de leite é que apesar de haver recursos para aquisição de novilhos, o programa pode começar com os animais que a família já possuir e, então, com o tempo pode-se ir adquirindo mais.
No caso da fruticultura de morango, em Prudentópolis já existiram 60 famílias produzindo, sendo que hoje caiu para 40 famílias, devido à problemas na fase de comercialização, que já foram todos sanados.

A atividade de piscicultura demandará um trabalho mais intenso de movimentação de terra e nisso o Engenheiro da Enerbios, Ivo Pugnaloni, afirmou que durante a construção dos canais a empresa empreiteira poderá ser orientada a executar, como parte dos serviços, a abertura de novos tanques para peixe, uma vez que já estarão as máquinas no local e a construção dos canais pode ensejar o aproveitamento do material retirado para a construção dos diques de acumulação, economizando no transporte do material para as áreas de bota fora.

Ivo concluiu afirmando sua posição referente à cooperação entre Enerbios e Emater. “É evidente que são dois projetos diferentes - Enerbios com as usinas e Emater com os programas de fruticultura, piscicultura e leite. Mas é extremamente positivo que haja uma coordenação entre ambas as iniciativas para reduzir custos e viabilizar a disponibilidade de água, dentro do moderno conceito do uso múltiplo.”, disse.

 O Engenheiro não afastou também a possibilidade de que a própria Enerbios aproveite a energia gerada para alimentar câmaras frias passando a dedicar-se também as atividades do ramo de alimentos. “Já que vamos construir a obra, não vemos porque não possamos também nos dedicar a comercializar tanto o pescado quanto frutas de qualidade. Lógico que isso não é atividade fim da Enerbios, mas não há impedimento algum que nós nos associemos com alguma empresa com experiência nessa área e ofereçamos as vantagens da nossa localização, próxima a cultura, e ao fato de nós termos água para disponibilidade naquela região.” – afirmou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário