Blogger Widgets Blogger Widgets

segunda-feira, 27 de abril de 2015

LEILÃO A-3: Cadastramento para novos empreendimentos deve ser reaberto até maio

Fonte: Redação ABRAPCH
O Ministério de Minas e Energia deverá editar na próxima semana portaria autorizando a reabertura do prazo para cadastramento de novos projetos no leilão A-3, que acontecerá dia 27 de julho. O tempo desse recadastramento ainda está sendo estudado pelos técnicos do Ministério.  A notícia é uma vitória do setor que, desde o anúncio do preço-teto de R$ 210,00 MW/h, para PCHs reacendeu o interesse dos investidores. “Temos 1930 MW de potência instalada em 172 projetos aprovados na Aneel e outros 7.200 MW em 640 projetos  encaminhados à agência. Temos plenas condições de atender às exigências do edital e tudo o que pedíamos era essa oportunidade”, comemora o presidente da ABRAPCH, Ivo Pugnaloni.

 A novidade veio após uma semana do lançamento da Frente Parlamentar Mista em Apoio às PCHs e Microgeração, presidida pelo Pedro Uczai (PT/SC). No dia 16, a Associação, acompanhada pelo deputado Celso Maldaner (PMDB/SC) entregou este pleito ao Secretário Executivo do Ministério, Márcio Zimmermann. Na ocasiã,o  o secretário comentou que tanto a reabertura do prazo no leilão A-3 quanto a realização de um novo leilão A-5 para o segundo semestre dependeriam  da quantidade de energia que as distribuidoras irão adquirir nos leilões até julho. Caso as empresas suprissem suas necessidades com energia de fonte térmica fóssil (mais cara), não haveria necessidade de um novo leilão A-5 no segundo semestre.
Distribuidoras podem priorizar  fontes de energia limpas em leilões
Diante da constatação do secretário Zimmermann, a ABRAPCH iniciou nesta semana uma ação junto às distribuidoras e a seus conselhos de distribuidoras  no sentido de sensibilizá-las, na medida do possível, a priorizar fontes limpas (entre elas as PCHs) na aquisição nos próximos leilões de energia. O próximo acontecerá na semana que vem, dia 30.
No mês de março, havia a expectativa de maior participação de energia de hidrelétricas de baixo impacto ambiental (PCHs e CGHs), mas o preço-teto viável para os empreendimentos só foi divulgado 45 dias após o fim do prazo para o cadastramento de projetos.  Assim que saiu o valor, a ABRAPCH iniciou gestões junto ao MME e Aneel  buscando a reabertura do prazo para cadastros de novos projetos para o A-3, já para este leilão de abril, isso não pode ser feito, conforme explicou o secretário. “Agora, com o anúncio de mais um novo prazo para o leilão A-3 de julho, temos certeza que o setor irá se surpreender pela quantidade de projetos de PCHs e CGHs que irão concorrer”, finaliza Plínio Pereira, vice-presidente da ABRAPCH. Os investidores aguardam ansiosamente a portaria com os prazos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário