Blogger Widgets Blogger Widgets

sexta-feira, 26 de junho de 2015

SC ganha 10 novas PCHs e aposta na geração limpa de energia

Santa Catarina ganhou nesta quarta-feira um pacote de incentivos para diversificar a geração energética do Estado. O foco do programa SC + Energia está em projetos de fontes renováveis como hidrelétrica, eólica, solar e biomassa. O governador Raimundo Colombo anunciou também a liberação de licenças ambientais de 10 pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) no Estado.

Com isso, o governo pretende aumentar a capacidade de geração em até 1 mil megawatts (MW) de energiaconsiderada “limpa” nos próximos anos. Colombo disse que o objetivo é ampliar a geração e preservar o meio-ambiente:
— É importante reforçar que vamos fazer as mudanças com rigor ambiental. Apenas de pequenas centrais hidrelétricas (PCHs), a Fundação do Meio Ambiente do Estado (Fatma) possui mais de 400 pedidos de licenças. Para ajudar a desafogar o trabalho, 28 novos servidores foram nomeados ao órgão ontem.
Entre as 10 PCHs liberadas, duas ficam em Taió, no Alto Vale do Itajaí. Eles pertencem à Heidrich, empresa do setor de papel. Apesar de já estarem operando com capacidade de 2,5 MW, a licença ambiental de operação vai permitir a venda da carga excedente para a Celesc.
Parte do programa prevê o incentivo para empresários que pretendam investir em pesquisa e produção de energiacom matrizes limpas. O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) deve disponibilizar R$ 1 bilhão nos próximos seis meses para essa finalidade.
— São linhas de crédito com taxas de juros de 6% e 6,5%, fixas. No caso das PCHs, o prazo de pagamento chega a 20 anos — conta Nelson dos Santos, superintendente do BRDE em SC.
Fonte: Diário Catarinense

Um comentário:

  1. O Estado de SC tem historicamente se destacado como empreendedor, de dar inveja (no bom sentido) a nós de outros estados do Brasil.

    Um Estado que tem pouca população, que tem pouco território e tem tantas iniciativas pioneiras. Olhando de fora dá uma impressão que existe uma convergência salutar e dominante (a gente de lá diz que só não progridem mais pela resistência dos Promotores Públicos) que une sociedade, empresariado e governos. Em belo exemplo para os demais.

    ResponderExcluir